[Poesia inglesa traduzida] Um poema de Tolkien

Este poema-canção se encontra no primeiro livro d’O Senhor dos Aneis, de J. R. R. Tolkien. É composto e cantado pelo hobbit Bilbo Bolseiro, quando ele e Frodo se reencontram na residência de Elrond em Valfenda.

Ao traduzir, não consegui manter as rimas, mas mantive o mesmo ritmo do original. Este é um ritmo de balada popular em que se alternam versos de oito e seis sílabas, com uma sílaba não-acentuada seguida por uma acentuada. Ele é chamado “Chevy Chase”, por causa de uma famosa balada antiga que tem esse nome. A Balada do Velho Marinheiro (The Rhyme of the Ancient Mariner) de S. T. Coleridge, e a Balada do Cárcere de Reading, de Oscar Wilde, têm ambas esse ritmo.

O poema original está logo abaixo da tradução.

Um ancião de barbas brancas com um livro no colo e uma pena na mão medita em frente a uma lareira acesa.

Sentado Junto ao Fogo

Sentado junto ao fogo, eu penso
Em tudo o que já vi,
Floridos prados, borboletas
Verões que já são idos;

Em folhas secas, tênues teias,
De outonos que já foram,
Manhã de bruma, sol de prata
E o vento em meus cabelos.

Sentado junto ao fogo, eu penso
No que há de ser o mundo
Quando afinal vier o inverno
P'ra mim, sem primavera.

Pois há ainda tantas coisas
Que não cheguei a ver:
Em cada bosque e primavera
Há um verde diferente.

Sentado junto ao fogo, eu penso
Em gente do passado,
E em gente que verá um mundo
Que eu não conhecerei.

E o tempo todo, aqui sentado
Pensando no outrora,
Eu tento ouvir passos que voltem
E vozes junto à porta.

*

I Sit Beside the Fire

I sit beside the fire and think
of all that I have seen,
of meadow-flowers and butterflies
In summers that have been;

Of yellow leaves and gossamer
in autumns that there were,
with morning mist and silver sun
and wind upon my hair.

I sit beside the fire and think
of how the world will be
when winter comes without a spring
that I shall ever see.

For still there are so many things
that I have never seen:
in every wood in every spring
there is a different green.

I sit beside the fire and think
of people long ago,
and people who will see a world
that I shall never know.

But all the while I sit and think
of times there were before,
I listen for returning feet
and voices at the door.

*

Imagem: Junto à lareira, de Peder Severin Krøyer. Fonte: Wikimedia Commons.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s