[Fábula de Esopo] O javali e a raposa

E vemos como o português da Enciclopédia Universal da Fábula é fantástico quando percebemos que até em uma mini-fábula de dois parágrafos podemos aprender novas palavras e modos de dizer.

Um javali, aos pés de uma árvore, afiava cuidadosamente as presas. Perguntou-lhe uma raposa porque fazia aquilo, uma vez que não havia caçadores nem perigos que o ameaçassem.

— Não é à toa, respondeu-lhe o javali. Se o perigo surgir inesperadamente, não terei tempo para afiá-las, ao passo que assim as trago prontas para cumprir o dever.

Não esperes a chegada do perigo para preparar as armas de defesa.

(Extraído da Enciclopédia Universal da Fábula, volume IV; Editora das Américas. Tradução de A. della Nina. Ilustração de Milo Winter.)

*

Esta é curtinha, não? 🙂 Quer ler outra fábula? Confira a dos navegantes e o capitão.

*

A notar:

presas = dentes

Perguntou-lhe uma raposa em vez de uma raposa lhe perguntou. Essa inversão dá mais vida à frase.

uma vez que = dado que, visto que

*

Gostou de aumentar seu vocabulário lendo esta fábula de Esopo? Então você gostará também dessa curta lenda europeia sobre o dom especial do povo cigano.

5 comentários em “[Fábula de Esopo] O javali e a raposa

  1. Sabedoria básica, mas que muitos não aplicam. Gosto muito das ilustrações desse artista. Uma época eu as tinha copiado para um projeto.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s