[Dicas de escrita] Quando usar “a” e “à”: três regras fáceis

Pois é. Cada louco com a sua mania. Você talvez vá pelo mundo afora endireitando tapetes e móveis. Eu conheço quem se desespere ao ver os outros rasparem a manteiga (não pode, tem de cortar um pedaço!), e há gente que faz questão que as toalhas de rosto sejam dobradas de um jeito específico.

Já a mania desta sua criada é uma obsessão com os homófonos (palavras que soam iguais) a e à. “Entrega à domicílio” é para esta pobre um soco na boca do estômago.

Mas na minha arrogância, achava que quem não usa essas palavras corretamente o faz de propósito, porque prefere por simples maldade não aprender as regras. Delinquentes ortográficos, gente ignorante por convicção, pérfidos merecedores do cárcere por crime de lesa-língua.

Até que um dia – e já era mais que hora – percebi que não. Não necessariamente. Há amigas minhas que são inteligentes, cultas, que escrevem bem –  e que assim mesmo tropeçam às vezes em à e a. E me dei conta de que em vez de lançar olhares furibundos a cada “aberto de segunda à sexta”, posso fazer algo mais humano.

Posso contribuir para ajudar alguém a desenredar essa meada de “as”.

Qual a diferença entre “a” e “à”?

Primeiro: existem dois a.

1. a = artigo definido feminino singular. Vem antes de um substantivo, indicando que estamos falando de um objeto, pessoa, etc. específico.

Ex. A casa da Giselle é uma belezinha.

(Não estou falando de uma casa qualquer, mas de uma casa específica, a da Giselle.)

Ex. Está em ruínas, a capelinha de São Jorge.

(Você sabe de qual capelinha estou falando, é de uma em particular, a de São Jorge.)

2. a = preposição. Vem entre um verbo e um substantivo, mostrando que a ação do verbo sobre o substantivo acontece indiretamente. Muitas vezes, pode ser substituída por outra preposição: até, para, com, de, em, de acordo com e outras.

Exs.

Abri a picada a facão. (a=com)

Vocês tem fogão a lenha? Nós só temos fogão a gás.  (a=de)

Vou dar o livro a uma amiga. (a=para)

Dirigiu-se a uma capelinha em ruínas. (a=até)

Segundo: a+a=à

Acontece que às vezes queremos indicar ação indireta do verbo (=precisamos da preposição a) sobre um substantivo definido (=precisamos do artigo a). O que acontece?

Se o substantivo for masculino, criamos uma nova palavra:

a (preposição) + o (artigo definido masculino) = ao

Ex. Vamos ao rancho do Carlos?

E se o substantivo for feminino? Também criamos uma nova palavra.

a (preposição) + a (artigo definido feminino) = à

O famoso e terrível à.

Exs.

Vamos a (=até) a casa da Giselle. = Vamos a+a casa da Giselle. = Vamos à casa da Giselle.

Vou dar o livro a (=para) a minha amiga. = Vou dar o livro a+a minha amiga. = Vou dar o livro à minha amiga.

Regrinhas fáceis

Bom. Se você ainda está aí, é quase um heroi. Agora vamos simplificar tudo isso em três regras.

1. À só é usado antes de palavras femininas. Ou seja: não existe à antes de substantivo masculino. Nem de palavras neutras, como você. (Isto é, existe uma exceção para o masculino, mas não acontece quase nunca, e é o tema de outro post.)

Entrega a domicílio. (a=em)

Agradeço a você.

Sujeito a guincho.

Forno a carvão. (a=de, com)

Passeio a cavalo. (a=de)

Fui a pé.

2. Com o substantivo feminino, se você está falando de alguma coisa em geral, use o a.

Aberto de segunda a sexta. (a=até)

(Estamos falando de todas as sextas-feiras, não é?)

Forno a lenha.

(Seu forno queima lenha em geral, não uma lenha definida.)

3. Com o substantivo feminino, se você está falando de alguma coisa específica, use o à.

Na Semana Santa, estaremos abertos da (=de+a) segunda à quinta.

(Estamos falando de uma segunda e uma quinta-feira específicas, aquelas da Semana Santa.)

Favor dirigir-se à administração.

(Não estamos nos referindo a uma administração qualquer, mas àquela do órgão onde que o aviso está afixado.)

Fique à vontade.

(“Aja de acordo com a sua vontade.” É uma vontade específica, a do felizardo a quem estamos falando.)

Resumindo…

Como com tudo na vida, usar a e à corretamente é uma questão de compreensão e prática. Infelizmente o mundo está repleto de maus exemplos; mas se você quiser, mesmo eles podem ajudá-lo. Se cada vez que vir um a ou um à você parar para lembrar a regra e conferir se o uso está certo, logo vai virar um especialista.

Você só precisa lembrar que:

  • Não existe à antes de masculino.
  • Feminino geral, você usa a.
  • Feminino específico, você usa à.

*

Fique à vontade para tirar dúvidas e dizer o que achou deste post nos comentários! E por que não conferir aqui qual é aquela exceção de que falamos?

3 thoughts on “[Dicas de escrita] Quando usar “a” e “à”: três regras fáceis

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s